terça-feira, 19 de agosto de 2008

Sayonara ou o adeus que vem da alma.

Vai entender essa vida! Como pode algo que esteve dentre do coracao tao cheio de brilho e ternura ir perdendo espaco para o desconsolo e a dor? Como entender que algo mude tanto e deixe de ser tao importante? Aquilo que te seduzia apenas com uma cor, um sabor ou um cheiro, de repente nao lhe diz mais nada. O respeito ainda esta ali, vivo e presente - nao poderia ser de outro modo - mas nao ha mais razao alguma para ir adinate. Quanto mais se ve e se entende, menos se deseja e alimenta. Estou sendo duro e injusto? Talvez. Quem vai me condenar? Depois do que tivemos quem vai dizer algo? Dou-me o direito de ser, apesar de nao me parecer esse o caso. Admito que talvez nao seja isso tudo, digo apenas tomado pelo calor do momento. Uma amiga certa vez me disse que as vezes eh necessario partir, e de longe quem sabe, sentir saudade e entender melhor o que foi que passou. Aguardo esse dia entao. Ainda me intriga nao saber explicar por que de longe, distante, antes de pisar aqui, pude conhecer tanto, apreciar tanto, amar quase, e agora que esta tudo tao perto, me tocando - mesmo que fechado e reservado - nao posso mais sentir. As vezes eh como se tudo desaparecesse! Parece-me tao distante e inacessivel. Pensei que era apenas por nao falar sua lingua, nao compreender ainda seus sinais, mas nao, nao foi apenas isso. Sinto muito, nao posso mais. Voce, e somente voce, entende isso. As palavras nao alcancariam, mas voce sabe. Sabe sim! Ironico que onde mais encontrei silencio, foi exatamente onde mais tive vontade de gritar... Espero por outro tempo que possa dizer a seu respeito sem essas coisas dificeis, mas voce foi exatamente isso pra mim: o dificil. Quem sabe eu diga tambem sem tanta furia. Gostaria de aprender mais contigo, mas nao mais por esse caminho, nao com essa desconfianca e esse preconceito. Ja que voce nao me olha, o que poderia eu fazer? Lamentei por mim um tempo, depois por nos dois, e agora lamento apenas por voce. Em breve por nada nem ninguem. Acho que acaba fazendo parte, as mudancas. Os ensinamentos de Gautama foram todos sobre isso: impermanencia, mudancas, sofrimento. Na minha cabeca ta tudo guardado, mas o que interessa mesmo eh a pratica, certo? Sou humano, demasiadamente humano e vai entender essa vida! Claro que felicidade existe. Deve existir! Nao vi muito disso por aqui, mas sei que ha. Do seu modo, da sua maneira e provavelmente, eu outra vez, nao pude ver. Te deixo assim entao: como te encontrei. Boa sorte. Sem magoas, ou quase. Ei Nihon! Japao, ta ouvindo? Acabou! Nossos caminhos se separam e decido por outras coisas, e voce nao faz mais parte disso.

Um comentário:

laura disse...

Pq nao simplesmente deixar a vida ser??? Deixar os sonhos Japao e viver o pais Japao... Aceitar o que a vida eh, eh entrega!!
Sei la li e me deu vontade de dizer isso...
Talvez pq esse foi o meu processo e adivinha???
Nesses meses me apaixonei por NYC, essa cidade faz minha alma maior, sentimento de mudancas!Lindo presente, lindo caminho!

Fica bem cidadao do mundo!